Tudo o que você precisa saber sobre cirurgia bariátrica

Tudo o que você precisa saber sobre cirurgia bariátrica

A cirurgia bariátrica é um procedimento que altera a anatomia do trato digestivo, com o objetivo de redução do peso e das doenças associadas a seu excesso. Em outras palavras, é a cirurgia que modifica o tamanho do estômago e/ou o intestino do paciente para que ele consuma menos alimentos.

Apesar de ser popularmente considerada um procedimento estético, esse não é foco da cirurgia bariátrica. Na verdade, somente pessoas diagnosticadas com obesidade mórbida, associada a outras doenças (em consequência do peso) e psicologicamente preparadas podem submeter-se a ela.

Quem pode realizar a bariátrica?

Médica mostra para paciente acima do peso exames em uma prancheta | Quem pode realizar a bariátrica?

A indicação cirúrgica é individualizada. O critério mais relevante para a indicação é o Índice de Massa Corporal (IMC).

 

A partir de 2012, o Ministério da Saúde reduziu para 16 anos a idade mínima para a realização da cirurgia de redução do estômago, mas ainda exigindo a autorização dos pais para os menores de idade. Entretanto, para qualquer paciente, é necessária uma análise do caso feita por uma junta médica. Para menores de 16 anos, a cirurgia só é indicada em casos de síndrome genética.

Para pessoas com IMC entre 35 e 40 kg/m², apenas o fato de existir uma patologia associada à obesidade já as qualifica como candidatas à cirurgia bariátrica. Pacientes com um IMC de 40 kg/m² ou mais estão qualificados para a cirurgia mesmo sem a presença de comorbidades.

A realização de outras tentativas de perda de peso sem sucesso também deve ser analisada para considerar alguém apto a submeter-se ao procedimento.

Técnicas Cirúrgicas

Médico montando um quebra-cabeças em formato de estômago com ajuda de pinças cirúrgicas | Técnicas Cirúrgicas

Para a realização de uma cirurgia bariátrica, o profissional dispõe de diversos métodos e procedimentos. A escolha por um deles vai depender do quadro clínico e dos motivos que fizeram o paciente optar pela redução de estômago.

Bypass Gástrico

A cirurgia com o bypass gástrico altera o fluxo do alimento e reduz o tamanho do estômago. Com o uso dessa técnica, o paciente chega a perder até 70% do seu peso inicial.

Esse procedimento é, normalmente, realizado por videolaparoscopia, técnica que utiliza câmeras e não faz grandes cortes. Após o procedimento o paciente passa a ter um novo estômago, com capacidade de cerca de 30ml, ligado diretamente ao intestino, cuja extensão de absorção de nutrientes é reduzida.

Gastrectomia Vertical

O estômago é modificado e transformado em um tubo com capacidade de 80 a 100 mililitros, provocando um boa perda de peso por causa da diminuição do espaço. Além disso também se retira a região onde é produzida a grelina, hormônio responsável pela sensação de fome.

Duodenal Switch

Essa cirurgia retira cerca de 85% do estômago, mas preserva sua anatomia básica e fisiologia de esvaziamento. Também é feito um desvio intestinal que leva ao emagrecimento.

Antes da cirurgia bariátrica

Casal acima do peso fazendo exercícios físicos

Mesmo se o paciente estiver dentro do grupo apto à realização da cirurgia, é preciso passar por alguns procedimentos e testes antes do procedimento. O primeiro passo é perder um pouco de peso antes da operação. O recomendado pelos médicos é perder 5% de todo o peso corporal, para melhorar as condições cardíacas e respiratórias durante a cirurgia e facilitar o procedimento caso este seja feito por videolaparoscopia.

Ao mesmo tempo, são solicitados uma série de exames como endoscopia digestiva, ultrassom abdominal e exames de sangue. Além disso, também é preciso se consultar com endocrinologista, cardiologista, nutricionista, psicólogo/psiquiatra e outros profissionais, se for o caso.

Depois da cirurgia bariátrica

Comidas saudáveis e materiais para a prática de exercícios físicos | Depois da cirurgia bariátrica

Os exames para acompanhamento devem virar rotina após a cirurgia. Em caso de outras doenças por consequência do peso que o paciente tinha antes do procedimento, também é preciso fazer um acompanhamento com os profissionais especialistas em cada patologia.

Já que a ingestão de alimentos é reduzida após a cirurgia, é preciso fazer um acompanhamento nutricional para ter certeza de estar consumindo todos os nutrientes necessários, principalmente quando são empregadas as técnicas que modificam a capacidade de absorção do intestino. A reeducação alimentar vai ajudar não só a perder o peso, mas também a mantê-lo.

A prática de atividades físicas é altamente aconselhável, mas somente após liberação médica. Quem vivia uma vida sedentária deve começar devagar, mas com passar do tempo, e com a perda de peso, os exercícios vão se tornando cada vez mais fáceis. O acompanhamento psicológico deve continuar, para ajudar na adaptação do paciente à nova rotina e ao novo corpo.

Cirurgias estéticas

Com o rápido emagrecimento no período pós-cirúrgico, é normal que a pele fique excessivamente flácida. Como solução, muitas pessoas recorrem às cirurgias plásticas, já que, além de causar desconforto estético, o excesso de pele também pode causar infecções e assaduras.

Conhecido como cirurgia reparadora, esse procedimento é um direito previsto por lei e deve ser garantido pelo plano de saúde, por se tratar de uma continuidade do tratamento. Para essa nova etapa é exigida uma nova bateria de exames, e o ideal é que seja feita dois anos após a bariátrica.

Acompanhamento psicológico

Mulher seca o rosto com uma toalha de papel enquanto uma psicologa faz anotações | Acompanhamento psicológico

O acompanhamento psicológico antes e depois da realização de uma cirurgia é fundamental, e muitas vezes pode ser o segredo do sucesso. Em uma bariátrica, ele se torna ainda mais importante.

Apesar de ser uma cirurgia extremamente necessária em alguns casos, é importante adequar a mente à nova realidade do corpo, e manter as expectativas dentro da realidade. O acompanhamento psicológico ajuda a identificar os pensamentos sabotadores e a responder a eles de uma maneira adequada à nova realidade. .

Tipos de acompanhamento psicológico

Avaliação Psicológica

A avaliação psicológica é um processo pelo qual todo candidato à bariátrica deve passar durante o pré-operatório. Esse procedimento serve para garantir que o paciente está mentalmente saudável para realizar a cirurgia e para as mudanças que ela vai trazer.

Acompanhamento Psicológico

Recomenda-se que o acompanhamento psicológico dure por toda a fase de emagrecimento do paciente. Existem duas modalidades diferentes de acompanhamento:

Acompanhamento psicológico bariátrico

Consiste em sessões mensais para discutir os resultados da cirurgia e pensar no que vem pela frente.

Psicoterapia

Para alguns pacientes, apenas uma sessão por mês pode não ser o suficiente. Nesses casos, a psicoterapia pode ser mais indicada. Esta terapia ultrapassa os limites da cirurgia e trata também de outras questões da vida do paciente.

Crise de identidade

Como em qualquer outra cirurgia, as expectativas do paciente podem ser tão altas que nenhum resultado conseguirá satisfazê-las. No meio médico essa situação se chama “Erro da Expectativa”, que é quando o paciente espera um resultado rápido e irreal da cirurgia, e ao perceber que isso não acontece, passa a acreditar que o procedimento foi um erro e não se sente bem em seu próprio corpo, entrando em uma verdadeira crise de identidade.

Essa situação só reforça a necessidade do acompanhamento psicológico durante todo o processo, desde a decisão até a recuperação. A cirurgia bariátrica não muda apenas a sua aparência, mas também todo seu estilo de vida. É preciso estar ciente disso e preparado para essas mudanças antes de entrar na sala cirúrgica.

Após a cirurgia, é comum que o paciente sinta que a decisão foi precipitada: a dificuldade em se habituar ao novo estilo de vida, o medo ou até mesmo a saudade da quantidade de comida que era consumida antes podem resultar em episódios de tristeza e até mesmo em arrependimento. Por isso, o acompanhamento no pós-operatório é essencial.

Principais Dúvidas

A cirurgia apresenta muitos riscos?

Toda cirurgia apresenta riscos, e a bariátrica não é um exceção. Atualmente as publicações médicas dizem que o risco de morte fica entre 0,2 e 0,4% dos casos. Existem complicações como trombose e pneumonia, mas elas só ocorrem em cerca de 1% das cirurgias.

A bariátrica ajuda a combater outras doenças além da obesidade?

Sim, pois a obesidade pode desencadear outras doenças, e com o emagrecimento consequente da cirurgia bariátrica é possível combater diversos quadros clínicos como doenças cardiovasculares, asma, pressão alta, colesterol alto etc.

A cirurgia bariátrica cura o diabetes tipo 2?

Não. Apesar de ser uma excelente aliada no tratamento, a cirurgia bariátrica não cura o diabetes tipo 2, já que se trata de uma doença crônica de evolução contínua. A obesidade causa uma série de processos inflamatórios que bloqueiam a insulina, importante hormônio responsável por reduzir a taxa de glicose no sangue. Com a cirurgia bariátrica e a eventual perda de peso, a resposta da glicose à insulina é retomada, e o nível de açúcar no sangue fica normalizado.

Unhas e cabelos ficam mais fracos após a cirurgia?

Dependendo da técnica indicada, por conta do rápido processo de emagrecimento depois da cirurgia as vitaminas do corpo ficam comprometidas, e isso pode resultar em unhas frágeis e cabelos quebradiços. Mas um acompanhamento nutricional pode evitar esse quadro.

Quem passa pela cirurgia pode comer o que quiser sem medo de engordar?

Não, e devido ao tamanho do estômago após a operação, o paciente não conseguiria nem se tentasse. Depois da bariátrica é preciso passar por uma reeducação alimentar para que os resultados sejam efetivos. A cirurgia é só o primeiro passo, depois dela é preciso comer corretamente, se exercitar e manter uma vida saudável.

Posso voltar a engordar depois da bariátrica?

Sim. O processo de emagrecimento dura em torno de dois anos, e a partir daí pode ocorrer algum ganho de peso se o paciente não mantiver uma alimentação balanceada.

Como escolher o cirurgião certo?

No site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica você encontra uma lista de cirurgiões associados, que passam por programas de atualização e revisão científica regularmente.

A mulher que passa por um cirurgia bariátrica pode engravidar?

Sim, mas recomenda-se esperar por volta de 18 meses após a cirurgia para tentar engravidar, e é importante ter acompanhamento médico e nutricional durante toda a gestação.

É preciso parar de beber e fumar para se submeter à cirurgia?

O álcool e o tabaco oferecem maiores riscos de complicações em qualquer procedimento cirúrgico, então o ideal é cortar esses hábitos durante o pré-operatório.

 

Cirurgia bariátrica no Rio de Janeiro

Dr. Luiz Carlos Eduardo Canarim | Cirurgia bariátrica no Rio de Janeiro

Na Clínica do Dr. Carlos Eduardo Canarim, clínica de cirurgia bariátrica no Rio de Janeiro, você recebe um tratamento completo para a realização de uma cirurgia bariátrica: desde o acompanhamento psicológio, passando por consultas com um endocrinologista até o acompanhamento nutricional pós-cirurgia. Caso você tenha mais alguma dúvida entre em contato conosco, vamos ficar felizes em atender você.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *