Obesidade

Obesidade

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a obesidade é uma doença multifatorial que se caracteriza pelo acúmulo de gordura no tecido adiposo e no tecido hepático, aumento dos triglicerídeos e menor termogênese. Ou seja, trata-se de um aumento da gordura corporal e um baixo gasto energético, levando ao excesso de peso.

É uma condição de grande impacto populacional quando observamos que no Brasil, segundo dados apontados pelo IBGE, cerca de 82 milhões de pessoas apresentam IMC igual ou maior do que 25, caracterizando sobrepeso ou obesidade.

Abaixo, temos a classificação da obesidade conforme IMC e risco de doenças:

IMC CLASSIFICAÇÃO GRAU OBESIDADE RISCO DE DOENÇA
< 18,5 Magreza 0 Elevado
18,5 / 24,9 Normal 0 Normal
25 / 29,9 Sobrepeso I Elevado
30 / 39,9 Obesidade II Muito elevado
> 40 Obesidade grave III Muitissimo elevado

O excesso de gordura corporal está associado a um aumento do risco de desenvolvimento de várias doenças, como hipertensão, diabetes, dislipidemias, doenças cardiovasculares, cálculos biliares, disfunções respiratórias, apneia do sono, osteoartrites, câncer, entre outras.

Por ser uma doença que possui várias causas (por isso diz-se que é multifatorial), precisa ser tratada em vários aspectos. Essas causas englobam fatores tanto genéticos como ambientais.

Quanto aos fatores ambientais, podemos destacar as compulsões alimentares e a transição nutricional que modificou os padrões de consumo. Atualmente, a população consome em maior quantidade alimentos açucarados e ricos em gorduras, devido a inúmeros fatores, como a praticidade dos fast foods e dos alimentos congelados ou processados, e também a influência da mídia. Aliados a isso, temos o sedentarismo e o estresse físico e emocional.

Mudanças no estilo de vida, como alimentação balanceada, controle do estresse e prática regular de atividade física são essenciais para o tratamento da obesidade. Eventualmente, há necessidade de medicações e cirurgia.

O sucesso do tratamento está intimamente ligado ao acompanhamento e à parceria incondicional do paciente com a equipe multidisciplinar que o orienta (nutricionista, médico e psicólogo). A falta de disciplina no pré e pós-operatório compromete todo o tratamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *