Obesidade como causa da Apneia do Sono

Obesidade como causa da Apneia do Sono

Entre os vários problemas ocasionados pela obesidade, um costuma passar quase despercebido pelas pessoas, recebendo menos atenção do que deveria. Estamos falando dos prejuízos causados ao sono pelo excesso de peso, que em alguns casos podem evoluir para a apneia do sono.

A obesidade é um fator desencadeante de diversos problemas que interferem diretamente na capacidade de o indivíduo ter um sono reparador, e a apneia do sono, é uma condição grave caracterizada pela ocorrência de pausas na respiração enquanto a pessoa dorme. Ou seja, o indivíduo deixa de respirar por alguns segundos, o que reduz o nível de oxigênio no sangue e, consequentemente, no cérebro.

Em média, a apneia do sono obstrutiva acontece até cinco vezes dentro de uma mesma hora, provocando ronco e interrupção da respiração. Esse quadro é extremamente perigoso, pois pode levar a pessoa a desenvolver arritmia cardíaca, diabetes tipo 2, pressão alta e várias outras doenças que colocam a vida do paciente em risco, além de reduzirem de forma drástica o seu bem-estar e produtividade.

Vale dizer que, na apneia, a pessoa pode ter seu fluxo de ar interrompido nas vias respiratórias por 10 segundos ou mais, o que prejudica o sono e faz com que ela sinta extrema fadiga e sonolência durante o dia, por causa das noites mal dormidas.

A relação entre obesidade e apneia do sono

Pessoas obesas apresentam risco acentuado de apneia do sono. Isso acontece por conta do acúmulo de gordura que estes indivíduos têm na região da faringe. A gordura provoca o estreitamento dessa estrutura corporal e dificulta a respiração.

Outra relação descoberta recentemente pela medicina no que diz respeito à associação da obesidade com a apneia do sono é que o próprio distúrbio da apneia obstrutiva influencia o metabolismo do organismo, causando alterações hormonais que fazem com que o indivíduo passe a acumular ainda mais gordura. Sendo assim, se estabelece um processo vicioso, no qual a obesidade desencadeia a apneia do sono, e a apneia intensifica o ganho de peso.

Como consequência deste processo, pessoas obesas e com apneia do sono não conseguem emagrecer, correm mais riscos de desenvolver doenças crônicas e têm chances aumentadas de doenças cardíacas, acidente vascular cerebral e outros problemas graves de saúde.

Prevalência da apneia do sono no mundo

No mês de julho de 2019, a renomada revista The Lancet publicou uma atualização sobre a prevalência da apneia do sono na população mundial. O estudo, que contou com a participação de 12 acadêmicos que são referências em pesquisas sobre o sono, mostrou que mais de 936 milhões de pessoas têm apneia obstrutiva no mundo. Infelizmente, mais de 85% desses pacientes sequer chegam a receber um diagnóstico.

As repetidas pausas na respiração causadas pela apneia impedem que as pessoas tenham um sono regenerador, e isso aumenta os riscos de doenças e, até mesmo, de acidentes de trânsito e de trabalho, causados pelo cansaço extremo.

Como é possível notar, a apneia do sono é mais um fator negativo associado à obesidade. Os principais sintomas deste problema são:

 

  • Cansaço extremo durante o dia;
  • Ronco;
  • Dores de cabeça ao acordar;
  • Sono agitado, no qual a pessoa desperta muitas vezes ao longo da noite;
  • Problemas de concentração e dificuldade para respirar.

Se você apresenta mais de um dos sintomas elencados acima e está em um quadro de obesidade, é fundamental buscar ajuda médica especializada, tanto para o correto diagnóstico e tratamento da apneia quanto para a realização de uma abordagem terapêutica que promova o emagrecimento saudável, a fim de aumentar a sua qualidade de vida e longevidade.

A Clínica Dr. Carlos Eduardo Canarim, clínica especializada em Cirurgia Bariátrica e Metabólica no Rio de Janeiro, oferece atendimento especializado para tratamentos de apneia do sono e os demais problemas causados pela obesidade.