O papel do Endocrinologista na avaliação pré-operatória da cirurgia bariátrica

O papel do Endocrinologista na avaliação pré-operatória da cirurgia bariátrica

A Endocrinologia é a especialidade médica que trata dos distúrbios hormonais. Muitas dessas patologias estão relacionadas à obesidade, e ao serem adequadamente tratadas ou estabilizadas, podem levar a um controle adequado do peso e até mesmo emagrecimento significativo, tornando a cirurgia bariátrica desnecessária.

O papel do endocrinologista é identificar se o paciente é portador de alguma delas como causa ou fator agravante da sua obesidade.

Exemplos:

  • doenças da tireoide, como hipotireoidismo ou hipertireoidismo;
  • disfunções da hipófise ou das glândulas adrenais, relacionadas à doença ou síndrome de Cushing;
  • disfunção da secreção hormonal ovariana, causada pela menopausa ou pela síndrome de ovários policísticos;
  • distúrbios metabólicos relacionado ao pâncreas, como diabetes tipo 2;
  • dislipidemia (aumento do colesterol e/ou triglicerídeos);
  • gota (distúrbios metabólicos com elevação do ácido úrico).

O tratamento clínico da obesidade consiste em mudança de estilo de vida, incluindo uma melhora dos hábitos alimentares e prática regular de atividade física, com ou sem uso de medicamentos antiobesidade. Em algumas ocasiões, as doenças estão fortemente associadas ao ganho de peso e/ou à má resposta ao tratamento clínico, e a cirurgia bariátrica passa a ser mais uma opção ao tratamento.

Com a cirurgia, torna-se possível atuar na produção dos hormônios intestinais responsáveis pela saciedade/fome, como a Grelina, GLP-1 e PYY, bem como na população bacteriana intestinal (microbiota).

Pacientes obesos e portadores de distúrbios endócrino-metabólicos que não obtiveram sucesso com manuseio clínico e que serão submetidos à cirurgia precisam manter tais patologias sob controle, para ter um pós-operatório adequado. Ou seja, a ocorrência de distúrbios hormonais não contraindica a realização da cirurgia bariátrica, mas o diagnóstico com controle das mesmas ainda no pré-operatório melhora a resposta ao tratamento cirúrgico.

Desta forma, a presença do Endocrinologista na equipe é indispensável, pois ele é responsável não só por identificar ou descartar problemas endócrino-metabólicos que interfiram na indicação e realização do procedimento, mas também por auxiliar no diagnóstico e tratamento de condições clínicas que podem interferir no resultado do pós-operatório.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *