Dicas para quebrar hábitos que te impedem de emagrecer

Dicas para quebrar hábitos que te impedem de emagrecer

A palavra dieta é o pesadelo de muita gente por aí. Não é para menos. É muito difícil mudar hábitos tão enraizados no nosso cotidiano, como beliscar aquele doce depois do almoço ou comer aquele biscoitinho quando o tédio bate no trabalho.

Como formamos nossos hábitos?

Essa dificuldade acontece, porque temos um cérebro preguiçoso. É verdade, mas é por uma boa razão: Dizem os cientistas que os hábitos surgem, porque nosso cérebro está sempre procurando maneiras de poupar esforço. Então, nós paramos de pensar em questões básicas como andar, escovar os dentes e até escolher o que comer.

Somado a isso, ainda existe o fato de que os hábitos são formados a partir de recompensas aparentemente boas – o que torna ainda mais difícil de quebrá-los. Uma vez que começamos a nos levantar no meio do trabalho para tomar um café cheio de açúcar e comer alguns biscoitos amanteigados apenas para fugir do tédio, um padrão surge em nossa cabeça dizendo que essa é uma atividade necessária para escapar do tédio e passamos a realizá-la todos os dias.

A culpa é toda nossa?

Claro que não. Os principais alimentos que preenchem esses nossos hábitos, como os fast foods, por exemplo, são feitos com imensas doses de gordura e açúcar, que tocam nos pontos de prazer do nosso cérebro e nos fazem “viciar” no hábito. E por ter o acréscimo de ser uma alimentação rápida, muitas vezes acabamos por ingerir por causa da correria do dia a dia.

Dicas para quebrar hábitos que te impedem de emagrecer

Cada pessoa precisa observar o seu comportamento para identificar quais são os hábitos que está realizando e que a impede de ter uma vida mais saudável. Entretanto, existem alguns que são construídos em praticamente todo mundo. Aqui vão algumas dicas para te ajudar a quebrá-los.

Tire os petiscos de perto de você

Trocar todas as “besteiras” da sua casa por snacks sem glúten e sem lactose não é a melhor maneira de fazer isso, até porque medidas drásticas assim tendem a não durar muito tempo e basta uma ida ao supermercado para comprar papel higiênico, para sair de lá com um pote de sorvete.

O ideal é dificultar o seu acesso a esses alimentos. Se os seus biscoitos recheados ficam em cima da mesa da cozinha, você vai ter que decidir não comê-los todas as vezes que for à cozinha, o que é uma tarefa bem difícil.

Deixe coisas saudáveis ao seu alcance

Como vimos, nosso cérebro não quer passar muito tempo pensando no que comer e agora que os biscoitos recheados estão no fundo do armário precisamos preencher a cozinha com outros alimentos.

Para isso, uma boa pedida são as frutas. Compre uma fruteira e deixe-a sempre cheia de bananas, maçãs e peras. Atente-se à validade das frutas, já que é bem menor do que a dos alimentos industrializados que estamos acostumados. Por isso, compre poucas quantidades ao longo do mês em vez de muitas em uma compra só.

Planejamento é a palavra-chave

Pense antes de a fome chegar. Ao ir em um supermercado, além de ir sem fome, é importante seguir uma listinha do que você precisa para a semana. Do contrário, é bem provável que você saia de lá cheio de açúcares industrializados, porque somos mais propensos a comprar alimentos coloridos e já prontos para o consumo em vez de folhas e legumes.

Foque no momento da alimentação

A sensação de saciedade demora um pouco a chegar no cérebro, por isso é importante comer devagar para não ingerir mais do que o necessário.

Alimentar-se enquanto faz outra atividade também não é uma boa ideia. Se você come com os olhos na televisão, por exemplo, não tem uma imagem do quanto você já comeu, por isso continua a comer durante todo o programa de TV. Faça um experimento, tente comer um balde de pipoca, daquele de cinema, sentado à mesa e concentrado na mastigação, vai ser bem mais difícil chegar ao fim do balde.

Substitua um hábito por um novo

Não se engane. Essa é uma tarefa bem difícil, mas não é impossível. O jornalista Charles Duhigg, autor do best-seller “O Poder do Hábito”, diz em seu livro que para substituirmos um hábito não saudável por outro, é preciso perceber qual a recompensa que nós estamos buscando.

No caso do tédio no trabalho, que mencionamos antes, o prazer provavelmente não tem nada a ver com o café e os biscoitos amanteigados, mas sim como dar uma pausa no trabalho ou bater um papo com um colega. Então, quando perceber que está prestes a realizar aquele hábito que quer parar, faça outra coisa. E faça essa mesma coisa todos os dias até não sentir mais a necessidade de tomar o café.

Uma boa dica é observar o horário em que o hábito ruim aparece. Fazendo isso, se programe para todos os dias realizar o hábito saudável uns dez minutos antes desse horário observado. Aos poucos isso acabará virando rotina, e aí seu hábito ruim será substituído por um saudável com naturalidade, sem que você sinta tanto os impactos da mudança. Seu organismo irá agradecer funcionando melhor, pois tudo age melhor quando há uma alimentação saudável.

Psicologia do emagrecimento

A Clínica Dr. Carlos Eduardo Canarim, clínica de cirurgia do aparelho digestivo no Rio de Janeiro, entende que emagrecimento é uma tarefa complicada e conta com uma equipe diversificada para te auxiliar nessa batalha. Além de nutricionista, endocrinologista e um cirurgião bariátrico, contamos com uma psicóloga para te ajudar a encontrar os gatilhos que te impedem de emagrecer durante uma dieta, ou para te ajudar a enfrentar as mudanças que acontecem antes e depois de uma bariátrica. Entre em contato com a nossa equipe diretamente pelo nosso site e marque sua consulta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *