Conheça os principais cuidados e prevenções contra Gordura no Fígado

Conheça os principais cuidados e prevenções contra Gordura no Fígado

Com os compromissos do dia a dia, muitas pessoas acabam não priorizando a atividade física. Entre tantos compromissos, cuidar do corpo e da saúde acaba no final da lista e, geralmente, torna-se uma obrigação postergada.

A prática regular de algum exercício auxilia na produção de hormônios que dão a sensação de prazer e bem-estar. Além disso, traz benefícios estéticos.

Porém, engana-se quem pensa que frequentar a academia, por exemplo, serve apenas para queimar aquela saliência abdominal indesejada. Mesmo nos corpos mais esbeltos, a gordura pode estar presente.

Diferentemente daquela gordurinha localizada, é possível que uma pessoa considerada magra tenha altos índices de gordura em seu organismo. O tecido adiposo não é visível é algo muito frequente, e o que muitas pessoas não sabem, é que existe um tipo de gordura que fica entre os nossos órgãos.

Práticas que aumentam a incidência de gordura no Fígado

O aumento da gordura visceral pode estar relacionado à alimentação. Um dos órgãos que mais sofre com o excesso desse tipo de gordura é o fígado. O desenvolvimento do tecido ao seu redor pode estar ligado ao consumo excessivo de glicose e bebidas alcoólicas.

Assim que o açúcar é ingerido, o nosso organismo armazena parte da glicose consumida em forma de gordura. O procedimento é natural e pode ser entendido como uma maneira de armazenar energia. Mas combinar este fator a uma rotina sedentária é o mesmo que não queimar a quantidade de energia necessária. É como se o estoque ficasse sempre maior do que o consumido. Esse processo pode ser acelerado quando o indivíduo consome carboidratos processados e refinados. São alimentos que estão associados ao aumento da sensação de fome.

Os prejuízos causados pela gordura no fígado

De acordo com os médicos, a esteatose hepática (a gordura no fígado) pode ser causada por outros fatores, como a falta de ingestão de proteína na alimentação, triglicerídeos e colesterol elevados e até diabetes tipo 2. Ficar muito tempo sem comer também está entre as causas.
Por conta destes fatores, é muito comum que pessoas que sofrem de obesidade ou que estejam acima do peso sejam portadoras de gordura no fígado. Dependendo do estilo de vida da pessoa, esse tipo de gordura no órgão pode provocar doenças sérias, como a cirrose hepática.

Como qualquer outra doença, a esteatose hepática é dividida em graus. A etapa considerada leve geralmente não causa sintomas ou consequências ao portador. No grau de nível 2, é possível notar alguns sinais, como: fezes brancas, náuseas e inchaço na barriga.

O estágio considerado mais grave provoca a inflamação do fígado, o que pode gerar lesões e reduzir as funções e a eficácia do órgão. Em todas as etapas, é possível realizar o tratamento, mas o diagnóstico precoce é essencial para o processo.

Casos descobertos no início podem ser resolvidos com a mudança na dieta e a prática de atividade física. Sintomas moderados, desde que não tenham relação com o consumo de álcool, são tratados à base de medicamentos.

Cuidados e prevenção contra a gordura no fígado

Mudar a rotina e praticar uma caminhada de 30 minutos diários pode render bons resultados para quem quer se ver livre da gordura no fígado. Adotar uma dieta hipocalórica (com baixo teor de calorias) e deixar o açúcar de lado também ajuda.

Inserir alimentos termogênicos no seu dia a dia também é uma maneira de auxiliar o corpo a eliminar o tecido adiposo. Café, canela e o gengibre são alguns exemplos.

Beber 300 ml de chá verde uma vez ao dia também pode ajudar a acelerar o metabolismo e, com isso, eliminar a gordura.

Como realizar o diagnóstico da gordura no fígado?

Uma forma simples de diagnosticar a gordura no fígado é com o exame de sangue. Também é possível descobrir a doença por meio de ultrassom abdominal. Em todos os casos, é imprescindível que haja o acompanhamento médico.

A Clínica Dr. Carlos Eduardo Canarim, clínica de cirurgia do aparelho digestivo no Rio de Janeiro, entende a complexidade da gordura no fígado e, assim como os avanços, visa a melhora do paciente. Contamos com cirurgião, endocrinologista, nutricionista e psicólogo para melhor atender e compreender cada caso individualmente. Agende uma consulta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *