Como a alimentação impacta o aspecto emocional?

Como a alimentação impacta o aspecto emocional?

Saúde mental e alimentação caminham juntas

Que o aspecto emocional faz a diferença na vida pessoal e profissional certamente você já sabe. O que talvez não entendamos em profundidade é como a nossa alimentação pode contribuir nesse sentido; indo além, é possível identificar problemas a partir de nossos comportamentos na hora de comer. Neste blog, iremos abordar o assunto.

Comida como válvula de escape

Comer traz para nós uma sensação de prazer. E a ciência explica esse processo: vários alimentos contam com nutrientes que aumentam a produção de neurotransmissores, conhecidos como dopamina, serotonina, endorfina e ocitocina, e são eles que causam essa transformação no nosso humor. Como diz uma propaganda famosa de chocolates, “você não é você quando está com fome”.

Entre os alimentos que provocam essa sensação, podemos citar:

Chocolate (claro que estaria aqui, não é?)
Banana
Frutos do mar
Mel
Proteínas em geral, como carne e ovos;

Comportamentos podem ser sinais de problemas mais sérios

Diante dos exemplos citados, algumas pessoas podem adquirir comportamentos nocivos à saúde, que demandam acompanhamento, como a bulimia nervosa, problema caracterizado pelo consumo rápido e repetitivo de grandes quantidades de alimentos (compulsão alimentar, tópico central do blog) seguido por tentativas de “compensar” o excesso de alimentos que foi ingerido (por meio de vômito, jejuns desregrados ou atividades físicas excessivas).

Outro exemplo é a compulsão alimentar, muito relacionada à ansiedade e à depressão, além de privações exageradas de dietas mirabolantes.

O assunto é bastante delicado e pode trazer sérios problemas à saúde. Segundo pesquisas, 60% dos pacientes diagnosticados com compulsão alimentar sofrem com a obesidade e/ou diabetes, que cresceu bastante no Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde.

Alimentos que podem ajudar na saúde mental

A boa notícia é que exemplos não faltam de alimentos que, aliados com outros hábitos saudáveis e com acompanhamento emocional, podem ajudar na saúde mental, tais como:

Sementes de chia e linhaça
Kiwi
Chocolate meio amargo, excelente para quem não dispensa uma sobremesa, pois aumenta a sensação de saciedade.
Peixes e outras carnes magras

Conclusão

Existem alternativas para cuidar do corpo e da mente e realizar uma verdadeira reeducação alimentar,o que pode fazer a diferença na vida de muitos.

É importante ter atenção a qualquer sinal de ansiedade, tristeza e depressão, e não deixar para depois o cuidado com a saúde.

Sobre a Clínica Dr. Carlos Canarim

A Clínica Dr. Carlos Canarim, especializada em Cirurgia Bariátrica e Metabólica no Rio de Janeiro, está situada na Barra da Tijuca e possui um corpo clínico completo para auxiliar seus pacientes, incluindo a orientação de psicóloga e nutricionista.

Saiba mais acessando o nosso site neste link!